Resenha - O Papai É Pop

Olá, pessoas bonitas!

Estou aqui mais uma vez com uma resenha de cortesia, em parceria com a editora Belas-Letras. Desta vez, o escolhido foi o livro O Papai É Pop, escrito por Marcos Piangers! Vem se encantar você também com essas histórias!

O Papai é pop
Então, você vai ser pai. Você sabe que precisa comprar uma casa maior. Tem que ter mais espaço pra criança. Tem que ter mais um quarto no apartamento. Tem que ter um berço novo, não pode ser aquele que a vizinha se dispôs a emprestar. Então você sabe que tem que trocar de carro, com seis airbags, no mínimo, ar-condicionado de fábrica. O que o humorista Marcos Piangers descobriu ao ser pai jovem é que essas preocupações não fazem diferença nenhuma. O que vale mesmo não é pagar pela melhor creche, se você é o último a buscar seus filhos. Não é comprar os melhores brinquedos, porque as crianças gostam mesmo é das brincadeiras que não custam nada. No fundo, o que importa mesmo, como os textos divertidos e emocionantes de Papai é Pop mostram, é você estar com seus filhos, não pensando em outra coisa, mas estar lá. De verdade. 


Título: O Papai É Pop
Autor: Marcos Piangers
Editora: Belas-Letras
Número de páginas: 112
Skoob
Classificação: 

Resenha:

Primeiro, eu preciso começar dizendo que foi uma surpresa pra mim um livro escrito pelo Piangers. Ele é um dos caras mais engraçados que eu conheço, e faz parte do elenco de um programa de rádio que faz muito sucesso aqui no Rio Grande do Sul chamado Pretinho Básico. Eu sou completamente fã do trabalho dos meninos, e por isso decidi que não poderia deixar isso aqui virar um tributo ao Pretinho Básico, por mais que eles mereçam. Vamos falar sobre O Papai É Pop, que é um livro completamente encantador!

O Papai É Pop é composto por várias crônicas escritas pelo Marcos e publicadas numa coluna de jornal. Agora, elas foram compiladas neste pequeno volume, que eu li em menos de duas horas. Todas elas tratam de um assunto em comum: a paternidade. Para quem não sabe, Piangers é pai de duas lindas meninas, e neste livro ele deixa bem claro que elas são a luz de sua vida. Por serem deste gênero, todos os textos são bastante curtos, e se baseiam em situações cotidianas da vida de todos os pais, que são passíveis de total identificação por parte dos leitores. Eu achei isso totalmente hilário, az com nós nos aproximemos muito mais da leitura e consigamos nos conectar aos episódios contados detalhadamente por Piangers. O fato de serem textos curtos possibilita uma leitura rápida e fluida, o que contribui para um despertar ainda mais profundo de sensações diferentes no leitor.

Falando em sensações, preciso dizer que o autor foi muito feliz em sua escrita. Piangers escreve de uma forma simples e de fácil compreensão, e consegue transpor exatamente todos os sentimentos que quer aos seus leitores. Eu ri, chorei, ri de novo, me emocionei e fiquei completamente encantada com as meninas da vida de Piangers. É incrível todos os detalhes das situações que o autor consegue nos passar, de um jeito leve e totalmente descontraído. No decorrer do livro, passamos por todo tipo de episódio: passeio no shopping com as filhas, viagem de carro, e até mesmo brincadeiras com as crianças, tudo isso intercalados de reflexões do próprio autor e ensinamentos que as suas filhas lhe dão. É perceptível o amor existente entre ele e as meninas, e tudo isso é comovente ao extremo. Me desculpe, Piangers, mas tu foi piegas, e isso foi lindo!

A diagramação da editora está linda, segue o mesmo estilo da capa, cheia de desenhos, que correspondem ao tema e ao assunto abordado em cada crônica. Algumas partes dele são até mesmo interativas, e nos convidam a colocar um pouco do nosso pai ali dentro. As cores combinam perfeitamente, e a fonte utilizada é extremamente agradável à leitura.

Para finalizar, posso dizer que a minha experiência com crônicas, que não era tão direta, foi inteiramente satisfatória. Eu não esperava gostar tanto e me identificar com tanta precisão, afinal de contas, ainda não sei como é ser mãe, no caso. Mas foi totalmente o oposto do que aconteceu. As filhas de Piangers são crianças adoráveis e comuns, qualquer um pode ter contato com uma garotinha ou garotinho assim, e aprender muito com ele. Nisso eu concordo com o autor: não tem nada mais puro ou verdadeiro do os sentimentos de uma criança, e esse é o verdadeiro tesouro de ser pai ou mãe. O livro é uma ótima pedida para o Dia dos Pais que está chegando, hein, fica a dica! Até a próxima postagem! Beijos!
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Super curti a resenha Pati, acho até que vou comprar pro maridão, pra quando formos pais ele já está fera no assunto! kkkkkk

    Pâm
    Chique a toda prova ;*

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, seu comentário me deixa muito feliz e pode ter certeza, vou retribuir com muito carinho!