Resenha - Armadilhas da mente

Olá!

Hoje venho com uma resenha fascinante e de um autor muito conhecido. Saibam mais na resenha.


Armadilhas da mente
Camille é mulher bela, rica e brilhante, capaz de deixar as pessoas impressionadas com sua habilidade de debater e argumentar. Mas seus diplomas e seu intelecto não foram suficientes para evitar que se tornasse vítima de suas próprias emoções. Casada com o banqueiro Marco Túlio, Camille sempre foi fechada em seu próprio mundo.Crítica, obsessiva, pessimista, não gostava de ser confrontada e não se curvava diante de ninguém, nem de psiquiatras ou psicólogos. Não concluía nenhum tratamento.
Vendo a depressão, as manias e as fobias de sua esposa se agravarem, Marco Túlio resolve comprar uma linda fazenda para que ela possa se afastar do estresse da cidade, respirar ar puro, se reconectar com a natureza e, quem sabe, com ela mesma.
Mesmo assim, transtornos mentais a impedem de sair de casa e pesadelos constantes não a deixam dormir. Enclausurada em sua própria mente, Camille piora a olhos vistos.
A reviravolta, porém, muitas vezes começa onde menos se espera. Quando conhece o excêntrico jardineiro da fazenda, Camille se surpreende com sua inteligência e, ao interagir com ele, a alegria volta pouco a pouco ao seu coração.
Em seguida entra na sua vida o sábio e instigante psiquiatra Marco Polo, que a estimula a superar os conflitos e procurar um personagem que deixara pelo caminho: ela mesma. Camille terá que aprender a se perdoar e a compreender pessoas “imperdoáveis”.
Profundo e emocionante, Armadilhas da mente é uma aula de filosofia e psicologia, que mostra que os labirintos da psique humana são bem mais complexos do que qualquer um de nós é capaz de imaginar.
  • Titulo: Armadilhas da mente
  • Autor(a): Augusto Cury
  • Editora: Arqueiro
  • Número de páginas: 256
  • Compare e compre!
  • Skoob
  • Classificação:

Resenha:
Quanto terminei a leitura, senti uma sensação vitoriosa com o personagem, mas, ao mesmo tempo, um vazio por ter finalizado a leitura.
Não há mentes impenetráveis, apenas chaves erradas. - Augusto Cury.


Tudo no livro é lindo, capa, diagramação, as reflexões e aprendizados que o livro nos traz é um outro termo que me fez sentir um pouco mais completa com tudo que li. Augusto nos mostra um lado maravilhoso, algo de dentro totalmente inexplorado.

No livro conhecemos Camille, uma mulher rica, brilhante e que ninguém a vencia nos questionamentos, o problema é que ela não conclui nenhum tratamento por ninguém ser páreo para ela, eles não acharam a chave certa como o Marco Polo.

Marco Túlio é o marido de Camille, um banqueiro extraordinário que se apaixonou pela brilhante mulher, mas ao ver que ela estava se afundando cada vez mais, resolve comprar uma fazendo para se afastar do estresse da cidade, conectar com a natureza e rezava que ela saísse de suas fobias, de todas as armadilhas de sua mente.

"Camille certa vez escrevera em um dos seus romances: A dor que eu vejo esta na periferia do espaço, a dor que eu sinto está no centro do Universo. É maior do que você entende e muito maior do que explico. Nunca tais palavras foram tão verdadeiras em sua própria história. [...]" Pág 7

Marco Polo foi um psiquiatra maravilhoso durante toda a leitura, eu aprendi muito com ele e todas suas teses - que acredito eu, este personagem seja baseado no próprio autor - e ainda conhecemos o Zenão do riso, tudo para ele era não, mas depois de seu tratamento melhorou e sua alegria é primordial, ele tem o seguro de uma propriedade de maior valor humano, a emoção.



O livro nos traz liberdade. Eu amo filosofia e sociologia. Augusto não deixou faltar mesmo quase nenhum dos maiores gênios e eu admirei, aliás, para mim ele é um dos maiores da atualidade.

O livro foi devorado, li em uma semana estas pouco mais de duzentas páginas, e em breve espero ler novamente pois acho que em livros brilhantes assim, sempre deixo escapar algo.

Alguns gostaram, outros não... Acredito que para uma mente bem mais aberta e que goste de questionar muito e é sedento de aprendizado, principalmente quando esta ao nosso alcance uma forma melhor de se conhecer as armadilhas da mente, este livro é a chave.

Augusto escreve de forma simples, explica com espontaneidade cada uma de suas teses ditas aos personagens. Algumas pessoas que lerem ou leram, podem achar chato a maneira do desenrolar do livro, mas tudo era preciso, cada detalhe, cada fala para que construísse e entendêssemos os personagens complexos - e não é isso que cada um de nós somos? Complexos.

"Não pensar tem seus privilégios: cada dia é um novo show. Pensar, um privilégio humano, traz à memória o passado. Nós nos tornamos uma história: ganhos inesquecíveis, perdas irreparáveis. A história engravida as tempestades mentais. As frustrações escrevem parágrafos; as perdas, capítulos; as mágoas, textos. Tênues gotas tornam-se torrentes, diminuídas poças geram oceanos. Sofremos pelo futuro." Pág 9.

Os capítulos são curtinhos, a capa é linda e o melhor personagem em minha opinião é o Zenão do riso e principalmente, as cinco regras que criou. Foi o personagem mais cômico da história e foi interessante a Camille "desabar" porque ele era um simples jardineiro e algumas coisas que ela não sabia, ele sabia. Uma grande existencialista que se "trancou", e está em busca de sua liberdade.

O poder, dinheiro, a felicidade de viver livre, preconceito, a forma como diz que somos presos e apegados a bens materiais, a internet ao invés de ficar na chuva descalço sentindo a lama em seus pés nos faz refletir sobre a vida, e o que tenho a dizer é que como Camille, grande parte - para não dizer todos - foram pegos em sua própria armadilha da mente... Somos mais complexos do que imaginamos.

Vou terminar aqui porque chegarei ao mesmo ponto: Leiam, vale muito a pena, mas lembre-se de abrir a mente e o livro é baseado nas pesquisas do autor, então prepare-se para admirar, refletir e aprender muito mais. Não indico para quem não goste disso e também para um leitor iniciante, no mais, parabéns ao autor e espero gostar tanto de suas outras obras quanto Armadilhas da mente.

Pai, o tempo é cruel,
Se você corre, ele o alcança.
Se você se esconde, ele sempre o encontra.
Se você se maquia, ele invade os tecidos.
Se você trabalha muito, ele o extermina mais cedo.
O tempo zomba da juventude.
Faz, da meninice à velhice, instantes.

A única forma de trair o tempo é amar e perdoar.
Amando, transformamos cada minuto em eternidade.
Eu não sou uma filha perfeita,
Mas ninguém te ama mais do que eu...
Págg 222 - 223.

Comentários
10 Comentários

10 comentários:

  1. Nunca me interessei pelos livros deles mas também nunca procurei saber sobre o que se tratava -_-
    Gostei da resenha e me interessei pelo livro.
    Abraços!
    http://diario-noturno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde querida Tamires.. nós somos mestres em criar e cair nas nossas próprias armadilhas..
    a vida é simples.. nós é que a complicamos...
    quantas pessoas tem a parede cheia de diplomas e se sentem infelizes.. temos que conquistar somente um diploma... que é o da vida..
    vidas presas por aparências são castelos a desmoronar..
    beijos e feliz sempre

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o livro, mas sua resenha me deixou mega curiosa pela leitura, ja anotei a dica pra proxima visita ao site da Saraiva, Extra e Submarino...vamos ver onde encontro pra comprar..
    http://www.detudopouco.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi! Tudo bem?

    Gostei muito da sua resenha. Nunca li nada do Cury, mas tenho vontade de ler principalmente esse. Também gosto de Sociologia, Filosofia e livros que me fazem refletir!

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oie Tamires =)

    Fico feliz em perceber que você curtiu bastante o livro. Infelizmente não consigo me sentir atraída pelas obras desse autor =(

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  6. Oi Tam!!

    Gosto muito de Augusto Cury, ele sempre desperta alguma coisa escondida nas leituras! Esse armadilhas da mente eu não li ainda,,,
    Vc curtiu o novo visu? Eu resolvi mudar td e fiz tudo sozinha! hauahuah

    Bjinhos
    JuJu
    As Besteiras Que Me Contam

    ResponderExcluir
  7. Muito chato,cansativo,uma leitura pesada. Não gostei!

    ResponderExcluir
  8. Se eu pudessse compraria todos
    Do mas antigo a o atual sou fa da leitura e esse homem e o cara..
    Tanto queria conhecelo como realizar meu sonho de ter todos os livros dele.
    Parabens augusto cury deus lhe deu um dom que mostrar o mundo q somos capazes de tudo ...quando mas vejo seus videos mim encanto pela leitura sou apaixonada pela psicologia ...bjs

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito,esse livro é específico em mostrar o quanto somos capazes de ver, sentir sem ninguém saber o qto isso traz para nosso interior às emoções da mente.

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante esse livro, mostra os grandes conflitos na mente do ser humano,na firma de expressar seus sentimentos, manias,a bipolaridade de Camille, ser superior, querer ser sem saber o simples da vida das coisas...

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, seu comentário me deixa muito feliz e pode ter certeza, vou retribuir com muito carinho!