Resenha - O Garoto Quase Atropelado

Olá!

A resenha de hoje é de um livro extraordinário e se você, leitor, chegou nesta postagem, por favor, leia até o fim e depois corra para ler e descobrir que estar vivo e viver são coisas completamente diferentes. Amei! Confiram ai, ok?

O Garoto Quase Atropelado
O Garoto Quase Atropelado - "Uma história inesquecível sobre adolescentes que escolheram acreditar no que sentiam. Você vai se emocionar" - Bruna Vieira, autora do Depois dos quinze.Um garoto sofreu com um acontecimento terrível.Para não enlouquecer, ele começa a escrever um diário que o inspira a recomeçar, a fazer algo novo a cada dia.O que não imaginou foi que agindo assim ele se abriria para conhecer pessoas muito diferentes: a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina de cabelo roxo, e que sua vida mudaria para sempre!Prepare-se para se sentir quase atropelado de uma forma intensa, seja pelas fortes emoções do primeiro amor, pelas alegrias de uma nova amizade ou pelas descobertas que só acontecem nos momentos-limite de nossas vidas.Estar vivo e viver são coisas absolutamente diferentes!


  • Titulo: O Garoto Quase Atropelado
  • Autor(a): Vinícius Grossos
  • Editora: Faro Editorial
  • Número de páginas: 272
  • Compare e compre!
  • Skoob
  • Classificação:

Resenha:
O livro é uma grande montanha russa de emoções. O Garoto Quase Atropelado quase me atropelou até certa parte do livro, ao fim, me atropelou, mas foram apenas alguns machucados que com o tempo, se curam...

"- A vida é feita de lembranças, não? Às vezes, eu apenas penso... Ninguém é completamente feliz neste mundo. Acho que a vida de todos é feita de coisas boas e coisas ruins. E, no final, quando as coisas ruins chegam e a gente se sente perdido e mal, as boas recordações servem para nos agarrarmos e tentarmos suportar." Pág 103



Não conseguirei fazer uma resenha detalhado do livro, pois, OGQA é lindo demais para desperdício de palavras dizendo sobre a história, um resumo dela apropriado seria este bem pequeno: Um menino que passou por certos problemas e agora, escreve no diário para libertar-se de seu casulo, porém, não contava ser quase atropelado por alguém - este alguém seria Cabelo de raposa - que iria tornar sua vida magnífica, mostrar a diferença entre estar vivo e viver.

Pequeno, certo? Mas agora vamos a todos os sentimentos que não da mesmo para expressar, mas tentarei e juro que mesmo se acharem grande a postagem, continuem lendo...


Inicialmente conhecemos o garoto que tem certa idade, mas a mentalidade de vida acaba sendo o triplo. Conhecemos o personagem profundamente. O Garoto Quase atropelado foi referido desta maneira do início ao fim, por isso, me senti próxima, me senti sendo ele em tudo! Nos momentos de raiva, de crise, de amor, de compreensão, de ódio da vida e ignorância do "mundo".

Quando li sobre cabelo de raposa quase atropelando-o, senti que ali começava as transformações, consegui, pelos olhos do nosso Garoto Quase Atropelado, enxergar os detalhes que ninguém mais percebe, a vida em tudo que é ou não vivo ou que realmente vive.

Depois de conhecer a cabelo de raposa - que o deixa intrigado e passa a noite pensando nela - resolve dar uma saída de casa e adivinhem? Ele a encontra; mas não somente ela, conhece a cabelo roxo e o James Dean não-tão-bonito e tem mais! Esta turminha mostra que para viver temos que passar por obstáculos, temos que ultrapassar os limites e viver dia após dia como se não houvesse amanhã.

Somente isso Tamires? Não! De forma alguma! Grossos nos massacra com situações terríveis que passa com estes personagens, aliás, a vida é cheia de reviravoltas, quem nunca passou por alguma situação péssima? Bem, no livro temos abuso, homofobia, bulimia... um leque que se abriu durante a narrativa que também me fizeram refletir sobre a merda - esta palavra: merda, é bem citada no livro - que o mundo é, aliás, o mundo nem tem culpa, as pessoas sim.

"Ninguém em casa toca no assunto, como se morte fosse um tema proibido. Mas, morrer deveria ser um assunto mais natural, não? Por que tanto drama com algo cujo impacto todos sofreremos um dia? É natural. É incontrolável. Morrer é apenas um efeito colateral de se estar vivo." Pág 14


Durante a leitura senti como se eu estivesse escrevendo e ao mesmo tempo, lendo um diário escrito por alguém. Como se o personagem me considerasse sua melhor amiga para contar seus mais profundos segredos como os amigos dele haviam feito. Me senti especial por estar lendo algo especial e que eu considero agora, especial.

Vinícius Grossos, confidencio à você e todos os leitores de seu livro e do blog que já tem um tempão que não havia um livro tão envolvente assim que me fizesse sentir raiva, desespero, amor, solidão, especial, viva, feliz e também, que me fizesse sentir as dores que as coisas normais da vida nos traz, como as perdas e os momentos marcantes.

Fui avisada que o livro tinha uma "pegada" do autor Stephen e até do John, que é claro, considero um grande elogio, porém, senti que a escrita também tem uma forma única que somente Grossos sabe contar a história de alguém que foi quase atropelado pelas incertezas e momentos da vida. Parabéns mesmo pelo trabalho!

Sobre o trabalho da editora, confesso que ficou impecável a diagramação, capa, tudinho! As páginas são amareladas e volto a dizer que amo a fonte e tamanho que são os livros da editora. 

Sobre a bicicleta, o porque dela, bem, digo que foi ela a causa do nosso Garoto Quase Atropelado ser quase atropelado, acho que também não significa somente isso, mas aí somente lendo para você saber e tirar sua conclusão.

"Imaginei naquele exato momento uma pessoa devia estar sendo agredida só porque não se enquadrava nos padrões de um grupo; pode estar pondo fim à própria vida porque não se sente normal ou aceita... A ignorância é outra marca deste mundo e nos coloca a qualquer momento num grupo de minoria, seja pela cor, pelo peso, pela origem, orientação sexual, pela introspecção... Que merda!" Pág 73

Adiciono aqui, sobre as músicas, amei todas elas e vou dar uma pesquisada nas que não conheço para escutá-las.

Somos atropelados pelas verdades em cada página do livro.
Descubra se você sabe diferenciar o viver do estar vivo. 
Vive.

Postei a foto abaixo na página do blog. Se você leu o livro, compreenderá, senão, está esperando o que para ler, descobrir e participar quando sentir-se pronto?



Comentários
8 Comentários

8 comentários:

  1. MEO DEOS CÊ TÁ QUEIMANDO A PÁGINA!!! Nem em mil anos eu faria isso...
    Quero muito ler esse livro. Parece ser daqueles livros que mexem com a gente.
    Você disse que falam músicas no livro... Amo demais! Sempre faço playlist com elas
    Beijos!
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Olá, Tamires. Tudo bem?
    Adorei sua resenha para, O Garoto Quase Atropelado.
    Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas diante das resenhas que venho lendo sobre ele incluindo a sua, acredito que vou vir a gostar muito da história, e claro me emocionar.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu estava vendo sobre esse livro agora em um outro blog. Vocês estão me deixando curiosa. Uma falando muita coisa sobre ele, a outra além da resenha me queima uma pagina? COMO ASSIM??? Curiosidade mil. HAUSHUAHSUAHSU
    Adorei a resenha <3
    Beeeijinhos <3
    http://livrosamoremais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossa, já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história que parece ser ótima, super emocionante.

    ResponderExcluir
  5. Amei o blog! Adorei como você falou do livro, fez eu me interessar muito por ele. Gostei muito da capa também, sempre é a primeira parte a me atrair. Vou colocá-lo em minha lista de leitura.
    Meu blog é novo, se seguir eu retribuo
    http://meninadalivraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Que lindo!!! Adorei a resenha e a história do livro!
    Com certeza lerei, até anotei para comprar, nunca tinha ouvido falar, mas achei muito interessante.
    Obrigada pela indicação.
    http://www.oraculodeelfos.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Bati o olho nas ilustrações do livro e já me apaixonei. Adoro livros com ilustrações, sem precisar falar que o livro é maravilhoso.

    ResponderExcluir
  8. Oi Tamires!
    Acho a capa deste livro tão fofa! Esta é a primeira resenha que leio sobre ele e gostei muito, bom saber que a estória é tão linda quanto parece. Acho demais quando o autor consegue criar esta aproximação entre o personagem e o leitor, nos deixa cativados e dentro da estória! Fiquei com vontade de ler e vou colocar na lista <3
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, seu comentário me deixa muito feliz e pode ter certeza, vou retribuir com muito carinho!